Se Veja mostrou as “duas caras de Dilma”, Isto é “mostra as duas caras de Serra”

Semana passada, Veja criticou a candidata Dilma e fez sua capa e dividida ao meio, apresentando uma declaração da candidata em 2007 favorável a descriminalização do aborto e outra, de 2010, contrária à descriminalização.

Isto é, esta semana, mostrou as duas caras de Serra e aproveitou para curtir com a concorrente.

Num dia, Serra disse que não conhecia o Paulo Preto, ex-assessor da Casa Civil do Governo de São Paulo acusado de arrecadar ilegalmente (e desviar o dinheiro) para campanha de José Serra. No dia seguinte, após Paulo Preto fazer ameaças veladas como “não se deixa um líder sozinho pelo caminho”, Serra saiu em defesa do ex-assessor.

Campanha de Dilma rebate boatos

Publico e-mail divulgado pela campanha de Dilma sobre os diversos boatos que tem surgido nos últimos dias na internet. Ele esclarece as invenções que muita gente, infelizmente, acaba repetindo (ou por má fé ou ingenuidade). Votem em quem quiser, mas baseado nas propostas dos candidatos e não com base em mentiras disparadas por adversários.

Veja o e-mail:

Fabricantes de calúnias surgem a todo o instante na internet

Para facilitar a divulgação nesta última semana de campanha, foi feita uma compilação dos emails falsos que circulam nesta campanha sobre Dilma Rousseff e seus respectivos desmentidos.

Em jingle de Serra, só falta Lula pedir voto para o tucano…

Um jingle pode falar muita coisa. Sobre o dilema de José Serra, por exemplo. Em 2002, quando era o candidato da situação e todos queriam mudança, tascou no jingle “A mudança é azul”. Agora quando é o candidato da oposição e a maioria quer a continuidade deu um jeito de colocar Lula no jingle. Faltou apenas dizer que Lula é Serra… Veja a letra abaixo e clique aqui para ouvir o jingle no site de Serra. (Daqui a pouco o JN divulga nova pesquisa Ibope, volto mais tarde para comentar).

Quando Lula da Silva sair
É o Zé que eu quero lá
Com Zé Serra eu sei que anda
É o Zé que eu quero lá

José Serra é um brasileiro
Tão guerreiro quanto eu
É um Zé que batalhou
Estudou, foi à luta e venceu

Zé é bom e eu já conheço
Eu já sei quem ele é
Pro Brasil seguir em frente
Sai o Silva e entra o Zé

José Serra foi Ministro
Deputado e Senador
Esse Zé já foi Prefeito
Zé já foi Governador

Tá testado e aprovado
Por tudo que ele já fez
Sempre teve do meu lado
Eu quero Zé Serra dessa vez

Quando Lula da Silva sair
É o Zé que eu quero lá
Agora é Serra Presidente do Brasil.

José Nader, presidente do TCE, quer voltar a ser presidente da Alerj

O jornal Foco Regional informa na edição desta segunda-feira, que o Presidente do Tribunal de Contas do Estado, José Nader, que se aposentará compulsoriamente no próximo dia 23, quando completar 70 anos, pensa em retomar a sua carreira política. Cogita candidatar-se a deputado estadual e sonha alto: ser presidente da Alerj, cargo que ocupou entre 1991 e 1994.

Caso a candidatura vá para frente, o filho de José Nader, de mesmo nome, que atualmente é deputado estadual poderia vir candidato a deputado federal ou até mesmo não disputar às próximas eleições, abrindo caminho para o pai.
Segundo o jornal, Nader, o pai, tem o privilégio, por ser conselheiro de tribunal de contas, não precisar cumprir o prazo de filiação partidária mínima e pode escolher o partido que quiser. A se julgar pelo comportamento do filho na Alerj, seu partido não chegará nem perto de partidos da base do governador Sérgio Cabral.
As opções mais próximas seriam o PR e o PTB. O PTB é o partido de José Nader, o filho, e no PR estão abrigados outros membros do “clã Nader”, cuja base política é o Sul Fluminense: o vereador Guto Nader e o ex-deputado federal Carlos Nader, respectivamente filho e sobrinho do conselheiro.

Colunista diz que Gabeira vem ao Senado, mas ainda há espaço para reviravolta

O colunista Josias de Souza, no UOL, afirma que Fernando Gabeira (PV) já teria se decidido pela candidatura ao Senado. Antes de Marina entrar no PV, estava tudo certo para uma candidatura ao Governo, com apoio de PSDB, DEM e PPS, garantindo palanque forte ao candidato do PSDB (José Serra, possivelmente).

Mas ainda há uma possibilidade do verde voltar atrás. A estratégia é do ex-prefeito César Maia, já publicada neste blog, consiste em a tríade PSDB-DEM-PPS apoiar Gabeira, deixando Serra sem palanque no primeiro turno, mas assegurando-lhe palanque no segundo.

A lógica é a seguinte: a eleição presidencial será decidida em dois turnos e Serra dificilmente ficará fora do segundo turno. Portanto, é mais vantagem, no Rio, abrir mão de palanque no primeiro do que correr o risco de ter um segundo turno com dois “Dilmistas” (Cabral e Garotinho ou Lindberg).

Melhor do que fabricar um candidato de última hora, não?

Em caso de reprodução, peço a gentileza de manter um link para o blog. Obrigado pela visita!: http://www.blogdocampbell.com.br/2009/11/colunista-diz-que-gabeira-vem-ao-senado.html#ixzz3vtDirMBs

Almir pede anulação das eleições

Segundo o jornal Diário do Vale, o ex-prefeito de Itatiaia, Almir Dumay, protocolou na Justiça Eleitoral. Tenho minhas dúvidas sobre a validade jurídica deste requerimento, mas de toda forma vamos aguardar a manifestação da justiça. Não creio que as alegações de Almir que foi prejudicado por conta de campanha defamatória promovida pelos seus adversários sejam suficientes para garantir a realização de um novo pleito. Conversei com um advogado bastante experiente que lembra que Almir em nenhum momento teve cerceado o seu direito de fazer campanha e propaganda. Porém, no seu requerimento, Almir Dumay, segundo o DV, diz que houve captação ilícita de votos:
“O candidato pediu a anulação da eleição em Itatiaia alegando “a ocorrência da falsidade veiculada pela imprensa, o emprego de propaganda vedada pela internet, bem como a captação ilícita de sufrágio através do uso de boca de urna das coligações concorrentes, comprovada através de prisões e apreensão de materiais de propaganda eleitorais pela Justiça”, diz o trecho da matéria.
Acredito que a única forma de anular a eleição em Itatiaia seria a cassação dos dois candidatos mais votados na eleição, o prefeito eleito Luis Carlos Ypê e o atual prefeito Jair Alexandre, que teriam seus votos anulados judicialmente, forçando a realização de um novo pleito, já que, juntos, tiveram mais de 50% dos votos válidos no município. Ou seja, tarefa bastante difícil.